SEM meias PALAVRAS – Entre verdades e mentiras, a revolta dos professores e a boa vida dos Marajás de Porto Ferreira

Prefeito Rippa e os Goebells de plantão tentaram transformar um limão em limonada mas se esqueceram que a fruta já estava “passada”...

Publicado em 09/07/2018 13:16:16

 SEM meias PALAVRAS – Entre verdades e mentiras, a revolta dos professores e a boa vida dos Marajás de Porto Ferreira
Marco Rogério Duarte é jornalista, historiador, Especialista em Jornalismo Contemporâneo e Conjunturas de Mídia e estudante de Ciências Econômicas

Marco Rogério Duarte

 

A canção

Responda depressa quem se acha esperto/ Quem sabe de tudo que é certo na vida/

Porque que a cara feroz da mentira/ Nos pode trazer tanta felicidade/Porque que na hora da grande verdade/ Às vezes o povo se esconde se esquece.

(...)Tem gente que jura que a vida é virtude/ Tem gente que faz o bem por falsidade/ Não há no universo uma força que mude/ O dom da mentira, o som da verdade/A lábia do sábio, a arma do rude/ São Deus e o diabo unidos na prece (Verdades e Mentiras – Sá & Guarabyra)

Frase

Atribui-se a Joseph Goebbels a frase “uma mentira repetida mil vezes se torna verdade”. Não há nenhuma evidência certa de que tenha sido seu autor, mas definitivamente é uma boa síntese do que este propagandista fez durante a Segunda Guerra Mundial. Tão eficaz foi o seu trabalho que até hoje existem aqueles que ainda defendem as “verdades” do Terceiro Reich. 

Goebbels

Tão bem sucedido foi o trabalho de Goebbels que se pode dizer que seus mecanismos têm sido copiados repetidamente por muitos líderes do mundo. Setores poderosos continuam confiando conscientemente na mentira como um meio para manipular as mentes das pessoas que desejam influenciar e, assim, fazer com que aceitem o inaceitável ​​e apoiem planos que seguem o interesse de poucos.

Goebbels 2

Os grandes setores de poder se deram conta, graças à experiência nazista, de que as sociedades eram capazes de acreditar em qualquer mensagem se esta fosse apresentada de maneira correta. Só era necessário exercer controle absoluto sobre os meios de comunicação sociais e todas aquelas instituições que transmitiam a ideologia, entre elas, a escola. Bastava focar nos medos, nos ódios e nas inseguranças. Em seguida, construir uma “verdade” conveniente e repeti-la para a sociedade.

Reflexões  

Começo a coluna deste Feriadão com reflexões sobre verdades e mentiras para chegar a um tema que mexeu com Porto Ferreira na semana que passou: a questão da possibilidade da redução dos salários dos professores PEB II da rede municipal de ensino.

Ofício

Tudo começou com um ofício do setor de RH da Secretaria Municipal de Educação. Nesta carta, comunicava-se aos docentes que por uma interpretação da legislação, os docentes teriam, recebido benefícios indevidos e que, portanto, teriam que ter seus salários reduzidos durante certo tempo como forma de devolver os valores recebidos “a mais”.

Mexendo no bolso

Como o tema “mexia no bolso” de toda uma categoria, os professores (que longe da realidade dos Marajás do Paço, não recebem R$ 15 mil ou R$ 20 mil, mas um salário pequenino e muito abaixo disso) passaram a se mobilizar.

Whatsapp

O assunto tomou conta dos grupos de Whatsapp. Os professores começaram a organizar protestos e uma pressão sobre o Poder Legislativo para impedir que seus já parcos salários pudessem ainda ser reduzidos.

Reuniões

No meio de todo este imbróglio foram realizadas várias reuniões, entre os professores, entre os professores e o presidente da Câmara Municipal, vereador Miguel Bragioni (PP) e também entre os docentes e a secretária municipal de Educação.

Notícia

Quando os fatos chegaram ao meu conhecimento, colhi as informações, conseguiu uma cópia do ofício enviado aos professores, ouvi os diálogos entre os docentes nos grupos de whatsapp que prometiam ir ao Judiciário com um Mandado de Segurança contra a redução de seus vencimentos. Com todo este conjunto de informações nas mãos, divulguei a notícia, revelando o que estava ocorrendo na Educação do município.

Outro lado

Tomei também o cuidado de ouvir o “outro lado”, ou seja, entrei em contato com a Assessoria de Comunicação da Prefeitura Municipal de Porto Ferreira e soliticei a posição oficial do Governo Municipal sobre os fatos.

Invertendo os fatos 1

E qual não foi minha surpresa quando li o texto e percebi que o governo estava brincado de Joseph Goebells, ou seja, tentando “reinventar a verdade”, ou seja tentando transformar um fato negativo – reduzir os salários dos professores – em um fato positivo – que seria o prefeito “salvando” os professores de uma redução de salários.

Invertendo os fatos 2

Na verdade, os “Iluminados” do atual Governo Municipal perceberam a caca que haviam feito e o desgaste político que o prefeito Rômulo Rippa  passou a sofrer e resolveram voltar atrás com a medida, saindo-se com esta da “correção” da legislação por parte do prefeito como “verdadeiro salvador dos docentes”. Olha, esta não enganaria nem o meu filho de quatro anos...

Verdades e mentiras 1

E aí vem meu amigo Sebastião Kleber Fabri, o Tião, dizer que a matéria que publiquei no FALA PORTO era falsa? Como falsa, Tião? Os fatos que narrei aqui são “mentiras”?  Não foi distribuído o ofício que eu, inclusive, publiquei na matéria??? Os professores não se mobilizaram revoltados com a possível redução dos salários???

Verdades e mentiras 2

Ora, Tião, entendo perfeitamente seu papel de defender com unhas e dentes o governo, mas cuidado ao tentar desqualificar os críticos do atual governo! Não fosse a minha matéria, será que o prefeito Rômulo Rippa voltaria atrás em sua medida ABSURDA????

Verdades e mentiras 3

Cuidado amigo, entendemos a necessidade de qualquer governo de tentar maquiar a realidade e divulgar apenas notícias positivas, mas se mantenha nos limites do bom senso ou do razoável. Afinal, como já disse um pensador “a verdade é uma linda mulher que ninguém deseja ver nua”...

Pelegada

Até o Pelegão do Sindicato dos Servidores deu sinal de vida diante da polêmica numa postura para lá de cômica. Os parentes continuam nos cargos de confiança do Exército Rippa? A família agradece...

Marajás

O prefeito Rippa deveria encontrar uma forma de reduzir os salários dos Marajás que ganham salários até maiores do que o dele e não ficar procurando pelo em ovo. Mas estes Rippa trata a pão de ló...

Furtos 1

E nos últimos dias foi a vez da Escolinha do Porto Bello ser visitada pelos ladrões. E eu pergunto: cadê a Guarda Municipal?  Porque o prefeito não coloca a guarnição para tomar conta das escolas, templos sagrados do saber que parecem abandonados pela atual gestão?

Furtos 2

Subtrair qualquer coisa de qualquer pessoa, empresa ou instituição é crime, além de ser um absurdo para qualquer cidadão de bom senso. Agora, furtar escolas deveria ser crime hediondo.

Furtos 3

Porém, como a Indigestão Rippa resolveu “ECONOMIZAR” com vigilância nas escolinhas e a MALANDRAGEM já sabe disso, novos furtos infelizmente virão. E durma-se com um barulho destes...

40 remédios

O atuante vereador Renato Rosa (PRP) revelou recentemente que 40 tipos de remédio de “alto custo” está em falta em Porto Ferreira. Realmente um absurdo. Enquanto isso tem dinheiro para os Marajás, para pagar a imprensa domesticada e etc....

Formiguinha

Aliás, Renato é daqueles vereadores que não fazem grandes discursos, mas trabalham tal qual formiguinhas, lutando para ajudar a população mais carente de Porto Ferreira.

Perdão

Peço perdão aos meus leitores, amigos e inimigos, que tentaram ontem, domingo, 8 de julho, encontrar a coluna. Resolvi escrever hoje, quando estou mais descansado.

 

Bem, por hoje é só, uma ótima macarronada para quem ainda não almoçou e um excelente feriado...

Se gostou da coluna, por gentileza, indique aos amigos. Caso contrário, indique aos inimigos...

Uma excelente semana a todos!!!

 

 

 

 

 

 

 

Comentários

Últimas notícias

Página 1 de 136