Prefeito de Pirassununga, Ademir Lindo, é condenado por improbidade administrativa e também por beijar mulheres à força

Ele também é acusado de passar as mãos e propor sexo no gabinete da Prefeitura a uma das mulheres

Publicado em 27/01/2019 14:42:11

Prefeito de Pirassununga, Ademir Lindo, é condenado por improbidade administrativa e também por beijar mulheres à força
Ademir Lindo tem contra ele acusações bastante sérias - DIVULGAÇÃO

O Poder Judiciário condenou, na última quinta-feira, 24 de janeiro, o prefeito de Pirassununga, Ademir Lindo (sem partido) por improbidade administrativa após ele ser acusado de assediar e beijar a boca de 4 mulheres e uma criança de 11 anos à força. A decisão é de primeira instância e cabe recurso. Portanto, Lindo se mantém no poder.

Na sentença do juiz Rafael Pinheiro Guarisco, da 2ª Vara de Pirassununga, o prefeito foi condenado a ter os direitos políticos suspensos por cinco anos e a pagar uma multa de 100 vezes o valor de seu salário na época dos fatos.

O caso é antigo. As denúncias foram apresentadas à Promotoria em 2011. De acordo com o MP, o prefeito teria se insinuado sexualmente em inúmeras oportunidades a moradores que o procuravam para pedir ajuda por problemas de saúde ou em busca de colocação profissional.

No primeiro caso registrado, que teria ocorrido em 2005, uma mulher registrou boletim de ocorrência relatando que procurou o prefeito para tratar sobre a renovação de seu contrato de trabalho na prefeitura. O prefeito, segundo ela, a teria cumprimentado com um beijo na boca e apalpado o corpo dela. Ele ainda teria pedido para que ela levantasse a blusa e teria proposto uma relação sexual no seu gabinete.

 Em outro caso, ainda segundo o MP, ele propôs uma colocação profissional para uma mulher caso ela o encontrasse na rodoviária de Leme, cidade vizinha, no dia seguinte. A mesma mulher teria voltado ao gabinete, dessa vez acompanhada da filha de 11 anos e de um vereador. Quando o vereador saiu da sala, o prefeito a eria segurado pelo braço e beijado sua boca. Em seguida segurou o rosto da criança e fez o mesmo.

Em 2008, uma mulher procurou o prefeito para pedir uma cirurgia de laqueadura. Na versão da suposta vítima, ao dizer que tinha 7 filhos, Lindo afirmou que ela ‘’deveria ser muito boa de cama”. Quando ela saía da sala, ele a puxou e também a teria beijado na boca.

O último caso teria ocorrido em 2010. Uma mulher disse que entrou no gabinete para entregar um currículo e ao cumprimentar o prefeito ele lhe aplicou mais um beijo na boca. Revoltado, o pai da mulher foi ao local e chegou a agredir Lindo.

O prefeito, que exerce no momento o seu quarto mandato, chegou a processar as mulheres alegando ser vítima de uma “orquestração para tentar denegrir sua imagem pessoal com acusações falsas”, mas a ação foi julgada improcedente.

Em 2010, o prefeito afirmou  à imprensa que tudo não passava de "armação". "Sou vítima de armação política. Tenho 30 anos de vida pública e nunca tive problemas. Tenho um jeito popular de ser e sempre respeitei todo mundo; dou beijo, abraço. É questão de educação”, defendeu-se na ocasião. 

Comentários

Últimas notícias

Página 1 de 142