CRIMES QUE ABALARAM A REGIÃO: A quadrilha de Porto Ferreira que furtou um arsenal do Exército e foi executada pelo PCC; veja reportagem especial da TV Record

Cerco à Vila São Pedro, reduto do crime organizado teria atrapalhado negócios do PCC e provocado a condenação dos jovens ladrões

Publicado em 16/11/2017 17:36:15

CRIMES QUE ABALARAM A REGIÃO: A quadrilha de Porto Ferreira que furtou um arsenal do Exército e foi executada pelo PCC; veja reportagem especial da TV Record
As munições furtadas do Paiol do Exército - DIVULGAÇÃO

 

Marco Rogério

Há cinco anos, no primeiro dia do mês de julho de 2012,, um crime bastante inusitado abalou a região. Uma quadrilha formada por jovens, ajudada por um soldado do 13º Regimento de Cavalaria Mecanizada de Pirassununga, na madrugada  entrou no paiol da unidade militar e levou de lá milhares de munições de armas de guerra e também algumas granadas.

O crime mobilizou as unidades militares e policiais de todo o Estado de São Paulo. A Vila São Pedro, principal reduto do tráfico de drogas de Pirassununga, que fica ao lado do Regimento de Cavalaria Mecanizada foi cercada. A partir daí iniciou-se uma operação pente fino e uma caçada aos ladrões. Ao invés de armas a força-tarefa começou a encontrar drogas de vários tipos e a prender bandidos que eram integrantes do Primeiro Comando da Capital (PCC), a principal facção criminosa do Estado de São Paulo.

Segundo informações da própria polícia, ainda naquele fatídico e macabro dia de 1º de mjulho de 2012, um matador contratado pelo PCC, foi a Porto Ferreira e, no Bairro Jardim Anésia II, executou com tiros de espingarda calibre 12, três membros da quadrilha que estavam em frente a uma casa naquele bairro. Foram cruelmente fuzilados Rogério Costa dos Santos, seu primo, Mailson dos Santos e Paulo Ricardo Bento. Depois disso, o próprio crime organizado teria feito chegar ao Exército o local onde estariam escondidos as munições e granadas roubados. Outro membro da quadrilha, Carlols Nunes Ferreira, fugiu da cidade. 

A quadrilha era composta por seis jovens, incluindo o soldado do Exército.  Depois disso,  Fábio AL, 31, foi preso no último dia 9 de setembro daquele ano pela Polícia Civil de Petrolina, Sertão de Pernambuco.

Fabinho seria o sexto membro da quadrilha que invadiu as dependências do 13º Regimento de Cavalaria Mecanizada de Pirassununga na madrugada do dia primeiro de julho, quando munições foram levadas do Paiol, na ocasião, 3.248 munições levadas; sendo 2.350 cartuchos de fuzil calibre 7.62, 840 cartuchos de calibre 9 mm, além disso, 20 cartuchos de borracha de calibre 12 mm, 36 cartuchos com calibre de .50 mm (ponto cinqüenta) usada para perfurar blindados e derrubar aeronaves e duas cápsulas de calibre 90 mm usadas em Blindado como o “Cascavel” equipado com o Canhão de 90 mm. Foram ainda subtraídas 12 granadas de boca de FAL (Fuzil).

Carlinhos, que também estava foragido, foi preso por militares do Exército n a cidade de Porto Ferreira no dia 14 de julho. Segundo policiais civis da cidade de Petrolina que participaram da prisão de Fabinho, primo do soldado do Exército de Pirassununga também é primo de dois, dos três jovens executados por volta das 21h30 do domingo, 1, cerca de 18 horas depois da invasão ao Quartel.

Fabinho que responde pelo crime de tráfico na cidade de Porto Ferreira teria dito para as autoridades do estado de Pernambuco que os três jovens executados por integrantes de uma facção criminosa, não fornecendo detalhes.

A Polícia e o Exército sempre descartaram da participação de uma facção criminosa no esquema, agora revelado oficialmente pelo homem preso no sertão de Pernambuco.

Vídeo

Comentários

Últimas notícias

Página 1 de 142