BOMBA: Procurador questiona prefeito sobre pacotes de cuecas em carro oficial e resposta surpreende: 'para diarreia'

Material da Lupo foi encontrado em novembro, mas empresa nega relação com Francisco Campaner (PSDB), de Ribeirão Bonito. Foi pedido à Procuradoria Geral abertura de investigação.

Publicado em 20/12/2017 10:30:10 | Por: G1 São Carlos e Araraquara

BOMBA: Procurador questiona prefeito sobre pacotes de cuecas em carro oficial e resposta surpreende: 'para diarreia'
Procurador encontra cuecas dentro do carro da Prefeitura de Ribeirão Bonito (Foto: Marcello Oprini/Divulgação)

 

O procurador de Ribeirão Bonito (SP), Marcello Armando Hernandez Oprini, apresentou à Procuradoria Geral de Justiça (PGJ) um pedido de investigação contra o prefeito Francisco José Campaner (PSDB) por crime de responsabilidade pelo uso indevido da máquina pública, após encontrar várias embalagens de cueca no carro oficial usado pelo chefe do Executivo.

Apesar de protocolada em 6 de dezembro, a PGJ informou ao G1 que ainda não recebeu o documento.

Oprini também pretende enviar à Câmara Municipal um pedido de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar o prefeito por quebra de decoro. Após questionamento do procurador, Campaner respondeu em ofício que as cuecas eram para o "caso de uma diarreia". (Veja abaixo).

Ao G1, o prefeito disse que não eram cuecas e sim embalagens, mas não explicou a origem do material.

 
Prefeito de Ribeirão Bonito responde questionamento da Procuradoria Municipal dizendo que cuecas que estavam em carro era para caso de diarreia (Foto: Reprodução)

Prefeito de Ribeirão Bonito responde questionamento da Procuradoria Municipal dizendo que cuecas que estavam em carro era para caso de diarreia (Foto: Reprodução)

Investigação

Oprini disse que viu por acaso os pacotes de cueca, de vários tamanhos, dentro do carro oficial, que estava em frente à prefeitura, em novembro.

Segundo o procurador, o fato chamou a atenção pela possível relação do caso com outra investigação que a PGJ está fazendo contra o chefe do Executivo. De acordo com a PGJ, o prefeito é alvo de, pelo menos, cinco investigações e uma delas corre no setor de crimes de prefeito e está em sigilo.

“Eu enxerguei um elo entre essas cuecas e o que ele esta sendo investigado na PGJ. Por que se ele está usando de um bem público para fins indevidos está no meu campo de atuação”, disse.

 
Prefeitura de Ribeirão Bonito (Foto: Felipe Lazzarotto/ EPTV)

Prefeitura de Ribeirão Bonito (Foto: Felipe Lazzarotto/ EPTV)

Pedido de esclarecimento e resposta polêmica

Após fotografar as embalagens, o procurador enviou um ofício ao prefeito pedindo esclarecimentos sobre a origem e o motivo de elas estarem no carro. Segundo Oprini, a resposta veio na forma de outro ofício e foi inesperada.

“Em atenção ao ofício 11/2017, esclareço a Vossa Senhoria que, por motivo de precaução, as citadas roupas íntimas masculinas (cuecas) existentes no interior do veículo Gol, placas BPZ 4810, pertencente à municipalidade, ali permanecerão, pois poderão ser utilizadas em caso de ocorrência de desarranjo intestinal (diarreia)”, dizia o texto.

Diante da resposta do chefe do executivo, o procurado enviou à PGJ um pedido de nova investigação para apurar a presença das cuecas no carro oficial. Já sobre a resposta, o procurador acredita que ela fere o decreto de lei nº 201/67que trata do decoro dos cargos públicos.

“Vou enviar resposta que ele me deu para Câmara Municipal para abrir uma CPI pela quebra de decoro, por agir de modo incompatível com a dignidade e decoro [do cargo]”, afirmou.

O prefeito de Ribeirão Bonito, Francisco José Campaner (PSDB) (Foto: Reprodução/EPTV)

O prefeito de Ribeirão Bonito, Francisco José Campaner (PSDB) (Foto: Reprodução/EPTV)

Justificativa do prefeito

O prefeito disse ao G1 que o fato foi criado pelo procurador para chamar a atenção.

“Infelizmente eu tenho uma pessoa desequilibrada mentalmente que está sofrendo uma sindicância e tenta se colocar na condição de vítima e a imprensa fica mordendo isca”, afirmou.

Campaner negou que tivesse cuecas dentro do carro e disse que o que foi fotografado pelo procurador eram "encartes de papel" feitos por uma gráfica.

Segundo Campaner , havia entre 40 a 50 desses materiais no carro. Contudo, ele não explicou o porquê destes itens estarem no veículo, nem a que gráfica ele se referia.

G1 tentou falar novamente com ele para obter mais informações a respeito da origem do material, mas não obteve mais retorno.

Lupo nega envolvimento com prefeito

O material fotografado é da fábrica Lupo de Araraquara, cidade vizinha que fica a 40 km de Ribeirão Bonito. O G1 procurou a empresa, que informou desconhecer o assunto e não ter relação com o prefeito Francisco Campaner.

Comentários

Últimas notícias

Página 1 de 138