Polícia pede prisão preventiva de Fernando Ganci, suspeito de matar tatuador de Porto Ferreira em briga de trânsito em São Carlos

Crime aconteceu na segunda-feira (3). Suspeito já tinha passagem por lesão corporal.

Publicado em 04/12/2018 16:15:24 | Por: G1 São Carlos e Araraquara

Polícia pede prisão preventiva de Fernando Ganci, suspeito de matar tatuador de Porto Ferreira em briga de trânsito em São Carlos
Fernando Ganci é considerado foragido e está sendo procurado pela polícia - REPRODUÇÃO FABEBOOK

 
 
 
 
Tatuador morre após levar tiros em briga de trânsito em São Carlos

Tatuador morre após levar tiros em briga de trânsito em São Carlos

A Polícia Civil pediu nesta terça-feira (4) a prisão preventiva do empresário de 40 anos suspeito de matar um tatuador de 36 anos a tiros em São Carlos (SP). Fernando Ganci é considerado foragido e vai ser indiciado por homicídio qualificado.

Segundo o delegado Gilberto de Aquino, da Delegacia de Investigações Gerais (DIG), o autor do crime já tinha passagem na Justiça por lesão corporal, mas o processo foi suspenso. O G1 não conseguiu localizar o advogado de defesa de Ganci.

O homicídio aconteceu no fim da tarde de segunda-feira (3) na Rua César Ricome, esquina com a Rua Episcopal, próximo à rodoviária.

O tatuador Marcos Gentil Romero, conhecido na cidade como Marcos Tsunami, foi assassinado por causa de uma briga de trânsito. O corpo do tatuador é velado em Porto Ferreira e o enterro está marcado para as 16h30 no Cemitério da Saudade.

Discussão

 
Marcos Gentil Romero, o Marcos Tsunami, foi morto a tiros em São Carlos — Foto: Reprodução/Facebook

Marcos Gentil Romero, o Marcos Tsunami, foi morto a tiros em São Carlos — Foto: Reprodução/Facebook

mulher e a mãe do empresário prestaram depoimento na DIG nesta terça-feira. A princípio testemunhas relataram à polícia que no momento do crime havia duas crianças no carro, mas na verdade eram as duas mulheres que presenciaram o homicídio na Rua César Ricome, esquina com a Rua Episcopal, próximo à rodoviária.

“Apuramos que o autor foi estacionar em uma das vagas e teve o carro obstruído devido ao congestionamento. Naquele momento ocorreu uma discussão. O autor conseguiu estacionar o veículo e, assim que ele desceu, o tatuador começou a ofendê-lo, segundo as testemunhas que estavam dentro do carro. Nesse momento o autor partiu para cima da vítima, acabou desferindo um murro no rosto e na sequencia efetuou os disparos”, disse o delegado.

 
Homem é morto em briga de trânsito em São Carlos — Foto: A Cidade ON/São Carlos

Homem é morto em briga de trânsito em São Carlos — Foto: A Cidade ON/São Carlos

Segundo o delegado da DIG, o empresário estava com um revólver calibre 32 que era do pai dele e que morreu dois meses atrás. Mesmo sem porte de arma, o empresário decidiu ficar com o revólver como relíquia.

De acordo com Aquino, os familiares disseram em depoimento que não era comum ele andar armado e que teria pego o revolver para fazer manutenção.

“Se não tivesse armado, não teria ocorrido a morte. Ele não conhecia a vítima, não havia ligação entre os dois, foi apenas uma discussão de trânsito, uma banalidade, um motivo fútil que acabou resultado nesse trágico homicídio”, declarou o delegado.

Vítima

Marcos Tsunami era conhecido na cidade por trabalhar em um estúdio de tatuagens na Rua Sete de Setembro. Ele também trabalhava em um estúdio em Porto Ferreira, cidade onde morava.

O tatuador já conquistou prêmios em festivais de tatuagens na região.

Comentários

Últimas notícias

Página 1 de 139