Despejo inadequado de lixo na rede coletora de esgotos gera impactos negativos para Porto Ferreira

Nos últimos quatro anos, em média 4 toneladas de lixo foram retiradas por ano das estações de tratamento de esgoto e elevatórias de esgoto da cidade

Publicado em 09/09/2019 14:35:31

Despejo inadequado de lixo na rede coletora de esgotos gera impactos negativos para Porto Ferreira
A sujeira retirada das rede coletora de esgoto de Porto - DIVULGAÇÃO

No Brasil, a rede coletora de esgotos foi projetada para receber 99% de material líquido e somente 1% de sólidos e um dos maiores desafios enfrentados durante a prestação do Serviço Público de Esgotamento Sanitário em Porto Ferreira, é o descarte irregular de lixo nas redes coletoras e ligações residenciais. 

Para manter o bom funcionamento dos sistemas de coleta, afastamento e tratamento de esgotos gerados diariamente nas residências a BRK Ambiental, concessionária responsável pelos serviços de água e esgoto de Porto Ferreira, realiza periodicamente manutenções preventivas e corretivas. Mensalmente, este ano, têm sido realizados, em média, 15 desentupimentos nas redes e 56 nas ligações de esgoto, além de 2 reparos/mês nas redes e ligações. No ano passado, foram 914 desentupimentos nas redes e ligações de esgoto e 57 reparos nas redes e ligações realizados no total. Este ano, até julho, já foram 495 desentupimentos e 57 reparos.

Durante essas atividades são rotineiramente encontrados dentro das tubulações materiais estranhos tais como restos de construção civil (pedras, resto de cimento, madeira, plástico, papelão, sacos, etc) e descartes de banheiro (papel higiênico, fio dental, absorventes, cabelo, cotonetes, tecidos, sacos plásticos, etc.) que ocasionam a obstrução da rede.

Além disso, outro grande problema é o descarte irregular de resíduos de cozinha, como restos de comida e, principalmente óleo e gordura. Estes materiais, enquanto estão quentes se apresentam em forma bem líquida, o que pode dar a falsa impressão de não ser problema. Porém, assim que esfriam se solidificam de forma muito intensa e podem se fixar nos canos e causar a completa obstrução da tubulação sendo necessária, em algumas situações, a substituição da mesma.

A rede coletora de esgoto é responsável por coletar, afastar e transportar os efluentes gerados nas residências, escolas, comércios e indústrias por meio de tubulações dimensionadas para tal finalidade, ou seja, apenas esgotos provenientes de banheiros, pias e lavanderias (tanques). “Ao despejar lixo ou então água de chuva na rede de esgoto, ocorre a obstrução da tubulação e isso gera um transtorno para os clientes e um dano ao meio ambiente”, explica Rogério Limeira gerente de operações da BRK Ambiental em Porto Ferreira.

 

Conscientização

Considerando que o Brasil conta ainda com cerca de 50% apenas de sua população com acesso ao serviço de tratamento de esgoto, é grande a necessidade de conscientizar e orientar o cidadão para o correto uso do sistema de esgotamento sanitário.

Pensando nisso, a BRK Ambiental de Porto Ferreira realiza mensalmente por meio do Programa Portas Abertas a conscientização das crianças para que elas disseminem as informações para os familiares, amigos etc. “Demonstramos às crianças a importância da rede de esgoto e o porquê o lixo ou a água de chuva podem interferir e prejudicar o trabalho do tratamento desse esgoto gerado por nós”, complementa o gerente.

 

Lixo que chega às estações

Os materiais sólidos também são encontrados durante a limpeza do gradeamento das estações elevatórias (EEEs) e de estações tratamento de esgoto (ETEs) da cidade. “Nos últimos quatro anos, foram coletados em média 4 toneladas de lixo por ano. É uma média de 330kg por mês recolhidos ao realizar a limpeza”, explica Lima.

“Em Porto Ferreira, no ano passado, concluímos a modernização e ampliação da Estação de Tratamento de Esgoto Fazendinha, à construção da Estação Elevatória de Esgoto Sybilla e à instalação de 6,8 quilômetros de coletores tronco e redes coletoras de esgoto na cidade. O investimento da concessionária nessas obras foi de R$ 12 milhões. Com isso, foi possível ampliar o índice de tratamento de esgoto de 27% para 75%. Com a operação das estações de tratamento de esgoto e das estações elevatórias de esgoto, 205 milhões de litros de esgoto deixaram de ser despejados nos córregos e ribeirões da cidade. A previsão é que a universalização do esgoto ocorra em dezembro de 2021, para isso R$ 8 milhões serão investidos em obras de Esgotamento Sanitário”, ressalta o gerente.

O sistema de esgotamento do município foi concebido considerando o sistema separador absoluto, ou seja, a rede de esgoto deve receber apenas esgoto doméstico, e não está dimensionado para receber águas provenientes das chuvas. As águas pluviais além de carregarem lixo, trazem para rede coletora uma quantidade excessiva de areia, gerando impacto direto na operação e tratamento dos esgotos.

A BRK Ambiental Porto Ferreira mantém a prestação dos serviços de operação e manutenção de forma ininterrupta, 24hs/dia e todos os dias da semana, para casos de solicitação de emergências. Além disso, há as ações de vistoria de limpeza preventiva de todo o sistema de coleta de esgotos, que é realizado rotineiramente pelas equipes técnicas da concessionária.

 

Para estas situações a Concessionária disponibiliza o Serviço de Atendimento ao Cliente de várias formas distintas:

- via call-center (0800-771-0001);

 - site www.brkambiental.com.br

- Aplicativo disponível gratuitamente nas lojas dos aparelhos com sistema operacional Android e IOS.

 

Outra forma de entrar em contato com a Concessionária é por meio do atendimento presencial realizado no Loja de Atendimento, localizada na rua Nelson Pereira Lopes, nº 199, de segunda a sexta-feira das 8hs às 16hs.

 

Comentários

Últimas notícias

Página 1 de 170