Servidor da Prefeitura está entre os 14 presos da Operação Clássicos

Grupo é suspeito de furto, roubo, receptação e adulteração de veículos. Administração diz que funcionário terá ponto suspenso e deverá ser exonerado.

Publicado em 12/05/2017 07:47:12 | Por: G1 São Carlos e Araraquara

Servidor da Prefeitura está entre os 14 presos da Operação Clássicos
Diretor do Departamento de Agricultura de Dourado é preso suspeito de integrar quadrilha

 

 
 

O diretor do Departamento de Agricultura da Prefeitura de Dourado (SP) está entre os 14 presos da Operação Clássicos, deflagrada pela Polícia Civil em cinco cidades na região de Ribeirão Preto (SP). Investigado há um ano, o grupo é suspeito de furto, roubo, receptação e adulteração de veículos.

Ao todo, 23 mandados de prisão foram expedidos pela Justiça para cumprimento em Ribeirão Preto, São Carlos, Franca, Dourado e Leme. Segundo o delegado Alexandre Daur Filho, nove suspeitos não foram encontrados e são considerados foragidos.

 
Operação Clássicos prendeu 14 na região de Ribeirão Preto nesta quarta-feira (10) (Foto: Valdinei Malaguti/EPTV)

Operação Clássicos prendeu 14 na região de Ribeirão Preto nesta quarta-feira (10) (Foto: Valdinei Malaguti/EPTV)

“O foco dessa quadrilha era veículos a diesel com até 20 de fabricação, pela facilidade que eles tinham de adulterar esses veículos e remontar para mandar para outros estados, e também pelo fato desses veículos não possuírem, na maioria das vezes, seguros. Por esse motivo, as vítimas quase sempre pagavam resgate por eles”, afirmou.

Prefeitura de Dourado

Em nota, a Prefeitura de Dourado informou que soube por meio da imprensa que o funcionário Vicente Ditorro Júnior foi preso pela policia. “A prefeitura informa também que não conhece os motivos da prisão e não sabe qual o situação do processo, portanto como medida imediata o funcionário terá o ponto suspenso, até que a prefeitura seja informada da sua situação junto a justiça, assim que informada o mesmo deverá ser exonerado”, informou o comunicado.

Ação da Quadrilha

Daur Filho explicou que a quadrilha agia de três formas. A mais comum delas era roubar ou furtar a caminhonete e, em seguida, sabendo que o proprietário não possuía seguro, os suspeitos pediam um valor de resgate.

Outras vezes, ainda segundo o delegado, o grupo adulterava placas e chassi do veículo para que ficassem com os mesmos dados de outro semelhante, que estava legalizado – essa documentação era obtida em outros estados.

 
Suspeitos presos na Operação Clássicos foram levados à Delegacia de Investigações Gerais de Ribeirão Preto (Foto: Valdinei Malaguti/EPTV)

Suspeitos presos na Operação Clássicos foram levados à Delegacia de Investigações Gerais de Ribeirão Preto (Foto: Valdinei Malaguti/EPTV)

”E muitas vezes também, caminhonetes encontradas depenadas, eles compravam das vítimas, na verdade, para ter acesso somente ao documento, e remontavam essas caminhonetes usando caminhonetes roubadas”, afirma Daur Filho.

Os suspeitos eram investigados há um ano e, nesse período, o delegado estima que a quadrilha tenha roubado ou furtado cerca de dez caminhonetes e caminhões. Parte desses veículos foi levada para a Bahia.

“São todos conhecidos pela prática dos mesmos crimes. Inclusive, um dos que está preso pagou, recentemente, R$ 10 mil de fiança ao ser preso com caminhão furtado. As diligências prosseguem nas cidades da região”, concluiu.

O grupo responderá pelos crimes de furto e roubo, de acordo com cada caso, além de adulteração e receptação de veículos, e associação criminosa.

Comentários

Últimas notícias

Página 1 de 126