Suspeito de envolvimento em extorsão a padre e morte de PM se entrega à polícia

Diego Afonso Siqueira Santos, de 21 anos, foi levado para a cadeia de Santa Ernestina (SP) nesta quarta-feira (28). Outros dois suspeitos ainda estão foragidos.

Publicado em 28/02/2018 20:11:48 | Por: G1 São Carlos e Araraquara

Suspeito de envolvimento em extorsão a padre e morte de PM se entrega à polícia
Diego Afonso Siqueira Santos é suspeito de envolvimento na extorsão de padre e morte de policial (Foto: Polícia Civil/ Divulgação)

Um dos suspeitos de envolvimento no caso de extorsão de um padre de Matão (SP) que terminou na morte de um policial militar de Araraquara (SP) se entregou à polícia, nesta quarta-feira (28).

Diego Afonso Siqueira Santos, de 22 anos, conhecido como Cocão, se apresentou na delegacia de Matão e foi levado para a cadeia de Santa Ernestina (SP), para cumprir prisão temporária. Ele e o advogado não deram declarações.

Segundo a polícia, Cocão e Luis Antônio Carlos Venção, de 28 anos, teriam gravado uma relação sexual entre o padre Edson Maurício, da Igreja Santo Expedito, de Matão, e Edson Ricardo da Silva, 32, conhecido como Banana, e usaram o vídeo para pedir R$ 80 mil do sacerdote.

O policial Paulo Sérgio de Arruda foi morto ao tentar flagrar o crime no último dia 19, mas o trio nega envolvimento no homicídio.

 
Sargento da PM Paulo Sérgio de Arruda foi morto em Matão  (Foto: Reprodução/ EPTV)

Sargento da PM Paulo Sérgio de Arruda foi morto em Matão (Foto: Reprodução/ EPTV)

Ele também é um dos acusados do assassinato do sargento da Polícia Militar Paulo Sérgio Arruda, que foi morto a tiros na casa do padre, quando tentava fazer o flagrante da extorsão.

Dois suspeitos estão foragidos

Até agora apenas Cocão se entregou. Os outros dois envolvidos no crime estão foragidos. Em entrevista ao G1, o advogado Luiz Gustavo Vicente Penna, que defende Banana e Venção, disse que eles estão com medo e que vai solicitar perícias à polícia antes de apresentar os clientes.

Banana admitiu que pedia R$ 80 mil ao religioso para não divulgar um vídeo dos dois fazendo sexo, mas ele e os outros envolvidos negam o assassinato do policial.

 
Casa do padre onde sargento da PM foi assassinado em Matão (Foto: Reprodução/ EPTV)

Casa do padre onde sargento da PM foi assassinado em Matão (Foto: Reprodução/ EPTV)

diocese de São Carlos suspendeu o padre Edson Maurício e garantiu que ele segue à disposição da justiça para esclarecimento do caso. O sacerdote não foi encontrado para falar sobre o assunto.

A PM instarou inquérito militar para apurar o motivo pelo qual o sargento Arruda e mais três militares foram até a casa do padre em dia de folga, uma vez que esta atitude foge ao protocolo.

Comentários

Últimas notícias

Página 1 de 132