Marcelo Simão: “Vamos fazer um Mercadão Rural às margens da Anhanguera”

Prefeito eleito pretende inovar, usando a rodovia como o caminhão para impulsionar o desenvolvimento da até hoje pacata Santa Rita do Passa Quatro

Publicado em 22/12/2020 19:16:48

Marcelo Simão: “Vamos fazer um Mercadão Rural às margens da Anhanguera”
O prefeito eleito de Santa Rita do Passa Quatro, Marcelo Simão: “Temos 30 km de Rodovia Anhanguera e não investimos 1 real” FOTOS: Divulgação

Marco Rogério

Os trinta quilômetros de Rodovia Anhanguera que margeiam o município de Santa Rita do Passa Quatro quase sempre foram ignorados pelos prefeitos da cidade enquanto vetor de desenvolvimento. Mas agora, o prefeito eleito, Marcelo Simão, aponta justamente para esta estrada (uma das mais movimentadas do Brasil), justamente como um meio de alavancar setores econômicos como a indústria e o turismo. É o que nos conta nesta entrevista.  Entre seus projetos está a construção de um distrito industrial e um grande Mercadão Rural às margens da rodovia, além de uma repaginada no famoso Festival Zequinha de Abreu, que celebra um dos maiores músicos brasileiros de todos os tempos.

 

PRIMEIRA PÁGINA - Qual foi o segredo para se eleger?

MARCELO SIMÃO  - Não houve segredo, houve uma proposta que a população se identificou, apoiando e desejando muito que possamos promover o desenvolvimento em todos os sentidos em nosso município.

 

PP- Em tempos de Covid-19, o povo reelegeu a maioria dos prefeitos que estão no poder.  Como o senhor conseguiu derrotar o grupo que estava no poder?

SIMÃO- Tenho 3 mandatos como vereador e conheço as necessidades que nossa população possui. É extremamente importante saber quais são os anseios da sociedade. Não há mais espaço para  propostas personalistas, baseadas apenas no que significou uma pessoa.

 

PP- Quais são suas prioridades para governar Santa Rita do Passa Quatro?

SIMÃO - Temos como prioridade o desenvolvimento empresarial, seja através da indústria ou turismo, haja vista termos um potencial imenso para os dois segmentos. Outro segmento importante demais é a saúde, onde constatamos graves problemas de atendimento em algumas especialidades.

 

PP - como o senhor pretende gerar empregos em meio à atual crise?

SIMÃO -  A geração de empregos será nosso grande projeto, pois nossa cidade, há muitos anos não tem feito sua parte e centenas de jovens vão embora todos os anos. Temos 30 km de Rodovia Anhanguera e não investimos 1 real. Faremos um distrito industrial em uma área de 11 alqueires que já é de propriedade do município, em local privilegiado da rodovia. Ao lado deste Distrito construiremos um Mercado Rural Municipal, onde teremos uma praça de alimentação para receber o turista e 40 boxes para os produtores rurais exporem e venderem seus produtos aos turistas e aos empregados da indústria, que também farão suas refeições no Mercadão. O turista receberá informações no local para visitar Santa Rita, e sabemos que quem conhece nossa cidade se apaixona e voltará sempre.

 

PP - Todos os analistas preveem um 2021 sombrio e tenebroso, principalmente se o presidente Bolsonaro extinguir o Auxílio Emergencial. O senhor tem algum Plano B para tocar a cidade em tempos de recursos minguados?

SIMÃO - Nosso plano é o pleno desenvolvimento da cidade, onde focaremos nesses projetos citados acima e na busca de recursos para construi-los, proporcionando assim novos empregos para a população. Santa Rita tem um potencial gigantesco e assim que conseguirmos realizar estes projetos teremos trabalho e renda por muito tempo.

 

PP - O senhor guarda alguma mágoa dos seus adversários ou tudo ficou no passado?

SIMÃO - Sobre a campanha não guardo mágoas, nunca guardei este tipo de sentimento, e isto nos faz muito bem, não ter nenhum tipo de mágoa ou rancor, confesso que teve momentos de tensão, mas são coisas naturais de campanha e está tudo ultrapassado como deve estar. Nosso olhar é apenas para o bem estar dos santa-ritenses e precisamos de todas as pessoas para melhor desenvolver nossa cidade. Uma vez acabada a eleição, esperamos que o único objetivo seja o desenvolvimento de Santa Rita do Passa Quatro.

 

PP - Como o senhor pretende melhorar setores como a saúde e a educação?

SIMÃO - A saúde precisa de uma gestão nas consultas, pois estão muito demoradas, principalmente nas áreas de oftalmologia e odontologia, os quais faremos contratações de emergência para suprir a demanda existente. Quanto a educação, investiremos, assim que possível, nas vagas em creches e focaremos na adolescência, onde atenderemos jovens de 11 a 18 anos, no período contrário ao horário escolar, onde daremos cursos de capacitação, laboratórios de música, internet, idiomas, esportes... etc, ocupando o tempo ocioso desses jovens com atividades que os tornarão grandes cidadãos.

 

PP- Santa Rita do Passa Quatro é uma cidade pequena, mas com um clima ótimo e várias atrações turísticas. Como o senhor pretende alavancar este turismo? 

SIMÃO- Promoveremos o turismo, captando o turista na Rodovia Anhanguera, construindo um hotel fazenda em projeto que idealizamos fazer em parceria com redes hoteleiras e investindo nos pontos turísticos belíssimos que a natureza nos proporcionou. O turismo é uma fonte de emprego e renda extraordinária e nós ainda não fizemos profissionalmente a lição de casa.

  

PP  - Outro setor forte em Santa Rita é o agronegócio, com destaque para a produção de açúcar e álcool. Usando de ponto de partida, a usina e outras empresas do setor, como é possível atrair novos negócios e industrializar Santa Rita?

SIMÃO - A Usina Santa Rita é uma grande empresa de nossa cidade, mas temos uma das maiores zonas rurais do Estado de São Paulo e queremos tornar os agricultores em empresários nos segmentos que atenderão aos produtos oferecidos no mercadão. Cada sitiante poderá  gerar um ou dois empregos nos boxes e mais alguns na propriedade rural, produzindo para oferecer ao turista no Mercado Rural.

 

PP – É possível se criar uma ETEC ou um núcleo do IFSP em Santa Rita para que a cidade tenha cursos técnicos?

SIMÃO - Santa Rita já possui uma ETEC, esperamos que ela ofereça mais cursos que se identifiquem com a população, como exemplo, hoje já temos um bom curso na área do turismo. Para o próximo ano teremos cursos oferecidos pela Fundação Salvador Arena, de excelente qualidade. Faremos também parceria para a promoção de cursos pelo SENAI.

 

PP – Zequinha de Abreu é o personagem mais conhecido de Santa Rita e existe um festival anual que leva seu nome. Como é possível ampliar este festival e atrair mais turistas? 

SIMÃO - Zequinha de Abreu é o grande ícone Santa-ritense, conhecido mundialmente, compositor de Tico Tico no Fubá, que já foi interpretada pelas melhores orquestras mundiais. Nosso festival Zequinha de Abreu é um grande sucesso há mais de 50 anos e neste momento precisa ser repaginado, para se tornar mais atrativo, elevando o nome deste grande gênio da música brasileira e por consequência o de sua cidade natal.

 

PP- Deixamos o espaço para suas considerações finais.

SIMÃO- Agradeço ao Jornal Primeira Página esta oportunidade, agradeço a cada santa-ritense que acreditou em nosso projeto e isto nos honra e motiva a trabalharmos o máximo para a realização deste projeto tão almejado por nossa população. Formamos uma equipe técnica que trabalhará muito pelo desenvolvimento humano e profissional de todos os santa-ritenses. Muito obrigado!

 

Comentários

Últimas notícias

Página 1 de 186