Caso da Rachadinha na Prefeitura de São Carlos pode virar CPI na Câmara

Vereador Elton Carvalho vai protocolar hoje o requerimento para cricação da Comissão parlamentar de Inquérito em São Carlos

Publicado em 28/05/2020 09:22:06

Caso da Rachadinha na Prefeitura de São Carlos pode virar CPI na Câmara
Chu (primeiro) acusa Colussi (foto central), chefe de gabinete de Inigo (último à direita), seu ex-namorado, de articular esquema de rachadinha na Secretaria de Planejamento - fotos: redes sociais

Marco Rogério

O caso da suposta “rachadinha” realizada na Secretaria Municipal de Planejamento e Orçamento da Prefeitura Municipal de São Carlos poderá ser investigado por uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Câmara Municipal. O vereador Elton Carvalho (Republicanos) afirmou hoje (28 de maio) que vai entrar com o requerimento na Câmara abrindo a comissão no Legislativo para investigar o caso. Ele também promete entrar com uma representação no Ministério Público. “As acusações são muito graves e as provas publicadas são contundentes”, ressalta o parlamentar.

Emerson Tadeu Lucindo, o “Chu”, ex-namorado do então secretário municipal de Planejamento do governo Airton Garcia, Roberto Paulo Valeriani Ignátios, acusa o chefe de gabinete da Secretaria Municipal de Planejamento e Orçamento de São Carlos, Carlos Augusto Colussi, de promover, juntamente c om ele, Chu, um esquema de “rachadinha”.

Chu revelou ao portal REPÓRTER CENTRAL/FALA PORTO que, no início da gestão de Airton Garcia, seu então namorado Roberto Paulo Valeriani Ignátios, também conhecido como “Inigo”, teria contratado Colussi com a condição de ele, Colussi, repassar mensalmente R$ 1.500,00 do total do salário de R$ 6 mil para Chu. Segundo Chu, Colussi cumpriu o acordo durante cerca de 14 meses e depois rompeu o acordo, parando de cumprir com o compromisso criminoso.

Os pagamentos da “rachadinha” acordada era feita através de transferência bancária  da contas correntes de Colussi para a conta de Chu. O FALA PORTO teve acesso a oito destas transferências bancárias que estão sendo publicadas nesta matéria. Colussi também é jornalista e já foi sócio da família Bellini no tradicional JORNAL DO PORTO.

Além disso ele também atua como professor há vários anos no campus de Porto Ferreira da  UNICEP (Centro Universitário Central Paulista).  A reportagem também possui gravações telefônicas onde Chu revela o esquema da “rachadinha”.

Os homossexuais Chu e Roberto Paulo terminaram, em 2019, um romance de cerca de 17 anos.  Chu, inclusive, move contra Roberto Paulo um processo na Justiça Cível de  Porto Ferreira, buscando a configuração da situação de “união estável” entre ambos, exigindo o pagamento de pensão de alimentos e outras indenizações do ex-secretário de São Carlos. A reportagem não conseguiu falar com Colussi e Inigo para comentarem o assunto. 

Roberto Paulo também foi sócio-proprietário da Rádio Primavera AM de Porto Ferreira, hoje  de propriedade do empresário Marcos Santos e da Família Braga. Roberto Paulo é engenheiro civil formado pela PUC e também veste-se de mulher em algumas noites e curte as noites  de Porto Ferreira.

Comentários

Últimas notícias

Página 1 de 181