Policiais matam a tiros bandido que atropelou Tenente Guerreiro

Com vasta folha criminal, Juarez Rafael Silva, de 29 anos, jogou carro sobre policial para facilitar fuga de cunhado, que é procurado pela justiça

Publicado em 13/01/2021 08:09:01 | Por: JORNAL PRIMEIRA PÁGINA

Policiais matam a tiros bandido que atropelou Tenente Guerreiro
Juarez Silva, de 29 anos, foi morto a tiros em confronto com policiais na manhã de ontem - JEAN GUILHERME

 

A Polícia Militar de São Carlos matou a tiros, na manhã de ontem, no bairro Planalto Verde, na Zona Sul da cidade, um homem de 29 anos, que atropelou  um tenente da PM, no decorrer da manhã desta terça-feira (12), foi alvejado por tiros e morto, após em posse de um revólver calibre 38, ter invadido uma moradia e também ter se confrontado com uma equipe do policiamento, no bairro Planalto Verde.

Todo o desfecho da ocorrência, ocorreu durante um patrulhamento com vistas, em buscas de um procurado pela Justiça e conhecido nos meios policiais, identificado como vulgo Índio, que em certo trecho da Avenida Júlio Francisco, acabou sendo avistado pela equipe do CFP (Comando de Força Patrulha), que era liderada pelo Oficial da PM vitimado, onde ao notar a aproximação da viatura policial e notar que seria contido em abordagem, o foragido rapidamente largou uma criança que tinha em seu colo na residência em que estaria em frente, e passou a correr pela via pública com o intuito de frustrar sua contenção pelo policiamento, onde ao presenciar que o cunhado seria capturado pelos militares, Juarez Rafael de Souza, 29 anos, dono de uma extensa ficha criminal, embarcou em um automóvel VW Gol Special, Preto, Ano 2002, Placas de São Carlos (SP), e passou a perseguir o 1º Tenente da PM, que também corria pela via pública vindo a o atropelar, o jogando em tal ocasião contra um automóvel VW Fusca, que estaria estacionado, causando graves ferimentos no militar.

Rapidamente Índio, embarcou no carro conduzido pelo cunhado, e na tentativa de fuga, Juarez, acabou perdendo o controle da direção em uma curva, e desgovernado colidiu o carro contra uma proteção metálica de um residencial em construção. Abandonando o automóvel, o procurado pela Justiça e o acusado pelo atropelamento do policial militar, empreenderam fuga correndo pelas vias públicas do bairro.

Sendo o socorro acionado, rapidamente a equipe de uma USB (Unidade de Suporte Básico) do SAMU compareceu ao local do acidente, e prestou os primeiros atendimentos ao militar, onde diante da gravidade dos ferimentos, foi solicitado pelo apoio da USA (Unidade de Suporte Avançado), que encaminhou o Oficial até o SMU (Serviço Médico de Urgência) da Santa Casa de São Carlos (SP), onde a vítima necessitou ser submetida a procedimentos cirúrgicos, devido a ter tido parte de uma das orelhas decepada no acidente.

Sendo reforçado o policiamento pelo bairro, contando com o auxílio do 11º BAEP (Batalhão de Ações Especiais de Polícia) de Ribeirão Preto (SP), na tentativa de deter os acusados, durante rondas com vistas na Avenida Júlio Francisco, uma equipe de militares se deparou com o motorista do veículo, Juarez Rafael de Souza, no exato momento em que o indivíduo estaria pulando pelos muros das residências, e invadiu a casa de uma família, onde ao ingressar para o interior da moradia, os PMs foram até o fundo da casa, se deparando com o acusado, que ao se confrontar com os militares foi alvejado, sofrendo graves ferimentos, e evoluindo seu quadro a óbito no local.

Diante dos fatos, a área foi preservada pelo policiamento militar, sendo após acionado pela Polícia Técnico-Científica, que realizou na presença de investigadores da DIG (Delegacia de Investigações Gerais) os procedimentos de perícia técnica, e após recolheu o armamento utilizado pelo marginal, sendo o corpo removido pela Funerária de Plantão, e após encaminhado ao IML (Instituto Médico Legal) de São Carlos (SP).

Juarez Rafael de Souza, 29 anos, possuía uma extensa ficha criminal, devido ao seu envolvimento com os crimes de tráfico de drogas, roubos, porte ilegal de arma de fogo, danos ao patrimônio público e até homicídio, e seu cunhado, o vulgo Índio, que já estaria sendo procurado pela Justiça, se evadiu após ingressar para dentro de uma área de vegetação.

Segundo Gilberto de Aquino, Delegado de Polícia da DIG (Delegacia de Investigações Gerais) de São Carlos (SP), a natureza do registro da ocorrência foi de Tentativa de Homicídio com Intervenção Policial e Evento Morte.

Comentários

Últimas notícias

Página 1 de 194