Internet: os desafios da hiperconexão em momento de pandemia

Aquele planeta em que tudo era distante se transformou. Sabemos em instantes o que ocorre na Ásia, como se ocorresse na esquina de casa

Publicado em 24/07/2020 08:29:34 | Por: AGÊNCIA BRASIL EBC

 Internet: os desafios da hiperconexão em momento de pandemia

 

Luiz Cláudio Ferreira - Repórter da EBC - Brasília

“Com quantos gigabytes se faz uma jangada. Um barco que veleje. Que veleje nesse informar”. Os versos de Gilberto Gil, no ano de 1996, tratavam da admiração e estupefação do poeta diante de uma das grandes novidades do século 20. Graças à internet que, mesmo em isolamento social durante a pandemia, todos aqueles que têm acesso podem, em 2020, navegar, trabalhar, estudar, olhar, viver o mundo sem sair de casa.

No dia 17 de maio foi celebrado o Dia  Mundial da Sociedade da Informação, conhecido como Dia da Internet, há cinco anos, graças a uma deliberação da Organização das Nações Unidas (ONU) para recordar a importância do compartilhamento de ideias e informações como ferramenta em prol da democracia e cidadania. Uma forma de sensibilizar e fazer gestões para diminuir a exclusão digital. Celebrar o 17 de maio tem origem em 1865 (há 155 anos) com o Dia Internacional das Telecomunicações, quando 20 países reconheceram o crescimento da importância do telégrafo para o mundo.

Desperta o melhor

Aquele planeta em que tudo era distante se transformou. Sabemos em instantes o que ocorre na Ásia, como se ocorresse na esquina de casa. Os cientistas que lutam contra a pandemia em 2020 veem-se em uma aldeia global e que podem compartilhar saberes aceleradamente. Nesse momento, atendimentos (inclusive os médicos) são feitos de forma virtual também. Um exemplo recente de publicação foi tratado no programa jornalístico diário da TV Brasil, o Repórter Brasil, sobre a Missão Covid, em que profissionais atendem voluntariamente 24 horas por dia.

Hora de (re)aprender

Nesses dias de quarentena, a internet, além de possibilitar o trabalho a distância, tem garantido que as pessoas continuem estudando. Para especialistas entrevistados pelo Portal EBC, o ensino neste formato virtual é um desafio para professores e alunos. Trata-se de uma reinvenção. Segundo brasileiros estudiosos da educação, a escola não será mais a mesma também depois da pandemia. Além do temor que o momento de crise propicia, eles veem que o distanciamento social pode gerar revisões sobre o que significa aprender. 

Assista abaixo à entrevista da professora Alice Esteves e ouça, na sequência, explicação do professor Cristiano Muniz de que as rupturas e possibilidades digitais transformarão ainda mais a educação. 

 

 

 

Internet em tudo...

Pouco antes da quarentena por causa da pandemia, o governo federal havia lançado a Câmara Saúde 4.0, instância dedicada a propor formas de promover a digitalização da saúde no país. Entre as intenções do Executivo estava a integração de dados dos cidadãos que utilizam esses serviços, não somente no Sistema Único de Saúde (SUS), como na iniciativa privada. A iniciativa faz parte do Plano Nacional de Internet das Coisas (IdC). O termo é empregado para designar o ecossistema de dispositivos conectados que se comunicam, não apenas computadores e smartphones, mas também sensores e eletrodomésticos inteligentes e até veículos. Grupos semelhantes já foram criados para as áreas de agricultura, indústria e cidades. Confira reportagem da Agência Brasil.

A hiperconexão é ferramenta de desenvolvimento e pode ser importante para recuperação econômica, conforme avaliação de especialistas. A digitalização de indústrias e serviços, por exemplo, pode ter um grande impacto em diversos setores da economia em todo o mundo. Segundo estudo da empresa de dispositivos móveis Ericsson, até 2030, essas tecnologias podem aportar até US$ 3,8 trilhões (R$ 15,86 trilhões) à economia global. Leia reportagem da Agência Brasil publicada em novembro do ano passado. 

 

Comentários

Últimas notícias

Página 1 de 182