Guia do Paulistão 2021: tudo o que você precisa saber sobre o torneio

Guia do Paulistão 2021: tudo o que você precisa saber sobre o torneio

Publicado em 26/02/2021 16:25:53 | Por: GE

Guia do Paulistão 2021: tudo o que você precisa saber sobre o torneio

 

Campeonato Paulista começa neste sábado, coladinho com o fim do Brasileirão 2020, encerrado na última quinta-feira. Dois dos quatro grandes clubes do estado chegam à competição reforçados por técnicos argentinos: o São Paulo, com Hernán Crespo, e o Santos, com Ariel Holan.

No Tricolor, Crespo, credenciado pelo título da Copa Sul-Americana com o Defensa y Justicia, assume o lugar do demitido Fernando Diniz com a missão de tentar acabar com o jejum de títulos do time. A última conquista foi a Sul-Americana de 2012. No Estadual, a fila é ainda maior: desde 2005.

O Santos, por sua vez, teve de buscar Holan na Universidade Católica, do Chile, depois de Cuca anunciar que não permaneceria em 2021. Na temporada anterior, o time teve como auge o vice da Libertadores e agora tenta voltar a ganhar o Paulistão. O último título foi em 2016.

Atual campeão estadual e da Libertadores, o Palmeiras terá de conciliar o começo de Paulistão, o primeiro do técnico português Abel Ferreira, com as finais da Copa do Brasil de 2020. O Verdão encara o Grêmio neste domingo, em Porto Alegre, e no dia 7 de março, no Allianz Parque.

E o Corinthians, maior campeão paulista, com 30 títulos, estará sob o comando de Vagner Mancini. O Timão vai tentar manter o excelente retrospecto recente na competição: chegou nas quatro últimas finais e conquistou três títulos (2017, 2018 e 2019).

A Federação Paulista de Futebol distribuirá R$ 11 milhões em premiação. O campeão ficará com R$ 5 milhões. E o vice leva R$ 1,5 milhão.

 — Foto: ge

— Foto: ge

 

Os grupos do Paulistão 2021:

  • Grupo A: Corinthians, Botafogo-SP, Inter de Limeira e Santo André
  • Grupo B: São Paulo, Ferroviária, Ponte Preta e São Bento
  • Grupo C: Palmeiras, Red Bull Bragantino, Ituano e Novorizontino
  • Grupo D: Santos, Guarani, Mirassol e São Caetano

Regulamento

O Paulistão começa em 27 de fevereiro e termina em 23 de maio.

Na primeira fase, os times enfrentam adversários de outros grupos, e os dois melhores de cada chave avançam às quartas de final. Os dois com menos pontos, independentemente do grupo, cairão para a Série A2. Os classificados entre a nona e a 14ª posição vão disputar o Troféu do Interior.

As quartas de final começam em 2 de maio e colocarão em confronto times da mesma chave. Assim: o primeiro colocado do Grupo A enfrenta o segundo do A, enquanto o primeiro do B pega o segundo do B. A ordem se repete para as chaves C e D.

A partir das semifinais (previstas para 9 de maio), os confrontos serão definidos pela soma de pontos de todas as fases anteriores. O dono da melhor campanha duela contra o pior. O segundo melhor encara o terceiro. As quartas e semis são disputadas em jogo único.

Os dois classificados fazem a grande final, em jogos de ida e volta, nos dias 16 e 23 de maio.

Inscrições

Cada clube poderá inscrever 26 jogadores. Os times ainda terão à disposição uma "lista B" com número ilimitado de atletas formados nas categorias de base. Os requisitos são:

  • Possuir 16 anos completos ou nascidos até 2000.
  • Estar registrado no clube ininterruptamente há 12 meses.

As equipes terão até 9 de abril para inscrever jogadores na primeira fase. Em 30 de abril, encerra-se o prazo para a troca de quatro atletas para a disputa das quartas de final. A “lista B” poderá ser alterada a qualquer momento.

 

Árbitro de vídeo

Nesta edição do Paulistão, o árbitro de vídeo será utilizado em 100% das partidas da competição. Nos últimos dois anos, em 2019 e 2020, a tecnologia do VAR esteve presente apenas a partir das quartas de final.

Veja abaixo uma análise dos times do Paulistão:

 — Foto: ge

— Foto: ge

Corinthians

Maior campeão paulista, com 30 títulos, o Corinthians vem de um amargo vice em 2020 para o rival Palmeiras e tenta retomar a sua dinastia estadual.

O Timão enfrenta dificuldades financeiras, tenta reduzir os custos e planeja a contratação de poucos reforços. Desta forma, deve dar mais espaço para jovens das categorias de base.

Três jogadores têm no Paulistão a oportunidade de mostrar que merecem seguir no clube. São os casos do zagueiro Jemerson e dos meias Cazares e Otero, cujos contratos se encerram no meio do ano.

Cazares e Otero no treino do Corinthians — Foto: Rodrigo Coca/Ag. Corinthians

Cazares e Otero no treino do Corinthians — Foto: Rodrigo Coca/Ag. Corinthians

 

  • Time-base: Cássio, Fagner, Jemerson, Gil e Fábio Santos; Gabriel, Cantillo, Gustavo Silva, Cazares e Mateus Vital; Léo Natel (Jô).
  • Estrela do time: Fagner. Regular, o lateral-direito é importante no ataque, tendo sido o líder de assistências na última temporada, e também na defesa. Participou da campanha do tri paulista (2017, 2018 e 2019) e esteve na última Copa do Mundo.

Fagner e Jô comemoram o gold o Corinthians — Foto: Marcos Ribolli

Fagner e Jô comemoram o gold o Corinthians — Foto: Marcos Ribolli

  • Ponto forte: a defesa já foi mais segura, mas ainda é um ponto forte do Corinthians. Setor conta com as defesas de Cássio, a segurança de Fagner, a imposição física dos zagueiros Gil e Jemerson e a experiência de Fábio Santos.
  • Ponto fraco: desde a última temporada, o Timão sofre para achar atacantes capazes de desequilibrar um jogo. Diversos atletas foram escalados pelos lados do campo, mas nenhum conseguiu se tornar titular absoluto. Até o ídolo Jô perdeu a vaga no time no fim do Brasileirão. O clube tem um elenco numeroso, mas desequilibrado.

Botafogo-SP

O rebaixamento do Botafogo-SP na Série B do Campeonato Brasileiro interrompeu uma ascensão do clube nos cenários estadual e nacional. A última queda em uma competição havia acontecido em 2005. Diante do insucesso na última temporada, a direção da Botafogo S/A, que gere o futebol tricolor, iniciou uma grande reformulação.

 
Alexandre Gallo, Paulo Pelaipe e Adalberto Baptista, em apresentação no Botafogo-SP — Foto: José Bazzo/Agência Botafogo

Alexandre Gallo, Paulo Pelaipe e Adalberto Baptista, em apresentação no Botafogo-SP — Foto: José Bazzo/Agência Botafogo

No Campeonato Paulista, o Botafogo ostenta sua vaga na elite desde 2009, porém, nos dois últimos anos só escapou do rebaixamento na última rodada. Para evitar um novo vexame, foram contratados 17 jogadores até o momento, incluindo nomes conhecidos como o zagueiro Victor Ramos, o volante Vinicius Kiss, o meia Renatinho e o atacante Rafael Marques.

O comandante será Alexandre Gallo, que já dirigiu a seleção brasileira sub-20, e tem história no Pantera, onde foi revelado como jogador nos anos 1980. Na direção, Paulo Pelaipe, com passagens por Grêmio, Coritiba, Vasco e Flamengo, foi o escolhido pela S/A para montar o elenco.

  • Time-base: Igor; Rodrigo Ferreira, Victor Ramos, Matheus Santos e Pará; Vinicius Kiss, Victor Bolt, Emerson e Renatinho; Kaio Magno e Rafael Marques.

Inter de Limeira

Depois de quebrar no ano passado a marca de 15 anos sem jogar a primeira divisão do Campeonato Paulista, a Inter de Limeira se prepara para disputar a elite do Paulistão mais uma vez.

Para garantir o primeiro objetivo no estadual, que é a permanência, e ainda sonhar com uma classificação às quartas de final, o Leão passou por uma grande reformulação, com a chegada do técnico Thiago Carpini e mais 20 reforços.

 
 

Roger é um dos destaques da Inter de Limeira — Foto: Rogério Rueda / Inter de Limeira

Um dos principais destaques do time é o experiente atacante Roger, que pode transformar a Inter no último clube de sua longa carreira, já que ele revelou que vai pendurar as chuteiras ao fim de 2021. Em relação à equipe que jogou o último estadual, comandada na época pelo ex-meia Elano, a maior ausência é a do atacante Lucas Braga, que voltou ao Santos após o fim do período de empréstimo.

  • Time-base: Rafael Pin; Matheus Alexandre, Renan Fonseca, Léo e Rafael Santos; Deivid, Ferrugem e Rondinelly; Lucas Batatinha, Tcharlles e Roger.

Santo André

Dono da melhor campanha do Paulistão de 2020 antes da paralisação em virtude da pandemia, o Santo André terá novamente o comando do técnico Paulo Roberto Santos. Apelidado de "Luxa do interior", o treinador é o grande responsável pela montagem do elenco, que terá apenas três remanescentes.

 

Santo André busca repetir sucesso do Paulistão do ano passado — Foto: Gabriel Facchin Dotto/Assessor de imprensa

 

O maior desafio do Santo André, além de repetir a boa campanha do último ano, será a ausência do estádio Bruno José Daniel, que não deverá ter a reforma concluída antes do término da primeira fase. Após ser hospital de campanha para pacientes com Covid-19, o estádio passa pela instalação de grama sintética, com obras em ritmo lento.

O time jogará as três primeiras rodadas no Canindé, em São Paulo.

  • Time-base: Fernando Henrique; Marcos Martins, Rodrigo, Pedro Vitor e Giovanni Palmieri; Paulo Roberto, Marino e Gegê; Fernandinho, Minho e Ramon.

 

— Foto: ge

São Paulo

Com mudanças na diretoria e comissão técnica, o São Paulo entra no Paulistão mais uma vez em busca de encerrar a fila de títulos. Sem conquistar nada desde a Sul-Americana de 2012, o Tricolor tem no estadual a primeira chance da temporada de acabar com esse incômodo jejum. O último Paulistão conquistado foi em 2005.

O elenco teve a contratação do atacante Bruno Rodrigues, ex-Ponte Preta, e deve ter mais reforços ao longo da competição, ainda que não haja dinheiro para grandes contratações. Foram orçados R$ 37 milhões para investimento em reforços.

O técnico Hernán Crespo viverá seu primeiro desafio no estadual. Sem pré-temporada e com jogos em sequência, terá de acelerar a adaptação a um novo futebol. Após um ano e quatro meses no clube, Fernando Diniz foi demitido sem títulos, e o auxiliar e interino Marcos Vizolli assumiu o time na reta final do Brasileirão.

 
 

Apresentação de Hernán Crespo no São Paulo — Foto: Reprodução/Twitter

Em 2020, o São Paulo fez uma única contratação: trocou Everton por Luciano com o Grêmio. Ao longo da última temporada, saíram do elenco Alexandre Pato (hoje no Orlando City), Antony (venda ao Ajax), Brenner (venda ao FC Cincinnati), Anderson Martins (atualmente no Bahia), Shaylon (empréstimo ao Goiás), Helinho (empréstimo ao RB Bragantino), Gustavo Maia (venda ao Barcelona B) e Fabinho (saiu sem contrato para o Athletico). Juanfran também não ficará.

Além disso, jogadores que voltam de empréstimo como Hudson, Jean, Everton Felipe e Junior Tavares terão seus futuros avaliados.

  • Time-base: Tiago Volpi; Diego Costa, Arboleda e Bruno Alves; Igor Vinícius, Luan, Tchê Tchê, Daniel Alves e Reinaldo; Luciano e Pablo.
  • Estrela do time: Daniel Alves. O camisa 10 é o jogador mais renomado do elenco. Ele tem contrato até 2022, mas seu futuro é incerto, pois o clube tem uma dívida milionária com o jogador.

 

Daniel Alves comemora seu gol pelo São Paulo — Foto: Fernando Roberto Teixeira

 

  • Ponto forte: o ataque melhorou consideravelmente de 2019 para 2020 e ultrapassou a marca de 100 gols na última temporada.
  • Ponto fraco: oscilação em momentos decisivos, como nas eliminações no Paulista, na Libertadores e na Sul-Americana – e na queda de rendimento na reta final do Brasileirão. Falta repertório para o time saber mudar situações adversas. A ausência de pontas velozes no elenco, suprida parcialmente com a contratação de Bruno Rodrigues, é uma carência a ser observada.

Ferroviária

A pré-temporada da Ferroviária começou tumultuada com o afastamento do empresário Samuel Klein, sócio-majoritário da empresa que gere o futebol do clube. Ele foi acusado de aliciar e estuprar 14 mulheres. Diante disso, a AFE reformulou seu departamento de futebol e contratou o técnico Pintado, que recentemente levou o Juventude de volta ao Brasileirão.

 

Renato Cajá retorna à Ferroviária, onde esteve entre 2006 e 2007 — Foto: Tiago Pavini/Ferroviária SA

Junto com o técnico chegaram dez jogadores até o momento, com destaque para os meias Vinicius Zanocelo, que é da Seleção sub-20, e o experiente Renato Cajá. A intenção do clube é ter uma temporada melhor do que em 2020, quando a AFE fez um Paulistão mediano – não passou da primeira fase – e parou apenas na segunda etapa da Série D do Brasileiro.

 

  • Time-base: Saulo; Diogo Mateus, Didi, Matheus Salustiano e Arthur Henrique; Nando Carandina, Dudu Vieira, Fellipe Mateus (Zanocelo) e Renato Cajá; Hygor (Éverton) e Bruno Mezenga.

Ponte Preta

Semifinalista no ano passado, a Ponte Preta planeja realizar uma nova campanha de destaque no Paulistão 2021, mas de preferência trilhando um caminho menos sinuoso.

Na última rodada da fase de grupos de 2020, a Macaca venceu o Mirassol por 1 a 0 em 90 minutos de muita tensão. Se ao final comemorou a classificação para as quartas de final, durante a mesma partida chegou a figurar na zona de rebaixamento.

 

O meia Camilo permanece na Ponte Preta — Foto: Álvaro Jr/ PontePress

A Ponte Preta anunciou seis contratações até o momento, mas a torcida ficou satisfeita mesmo foi com a permanência de dois destaques do elenco, o lateral-direito Apodi e o meia Camilo. Das 15 baixas, a mais sentida foi a de Bruno Rodrigues. Apesar de todos os esforços da diretoria para renovar o contrato de seu artilheiro na temporada anterior, com 11 gols, o atacante assinou com o São Paulo.

  • Time-base: Ygor Vinhas, Apodi, Rayan, Ruan Renato e Yuri; Dawhan e Barreto; Pedrinho (Bruno Michel), Camilo e Moisés; Paulo Sérgio.

 

São Bento

De volta à elite estadual após uma temporada, o São Bento colocará em prática a filosofia do "bom e barato". A experiência de apostar em um time de medalhões foi a principal causa apontada pelo clube para os seguidos rebaixamentos. Na última participação na elite estadual, em 2019, o São Bento também disputava a Série B do Brasileiro. Dois anos depois, o time de Sorocaba está na quarta e última divisão nacional e busca ao menos se manter na Série A1 do Paulista nesta temporada.

 

Edson Vieira foi eleito o melhor técnico da Série A2 do Paulista de 2020 — Foto: Divulgação/EC São Bento

Sem grandes nomes no elenco, a grande aposta é no técnico Edson Vieira, que faz sua estreia na elite após conseguir o vice-campeonato da Série A2 pelo São Bento. O clube ainda vive a expectativa de inscrever ou não o youtuber Juninho Manella, filho do treinador, no estadual. A tendência é que o atacante fique fora da lista final.

  • Time-base: Luiz Daniel; Victor Guilherme, Dirceu, Marcão e Julinho; Escobar, Fábio Bahia e Allan Dias; Leilson, Italo e Geovane Itinga.

 

— Foto: ge

 

Palmeiras

Atual campeão Paulista, o Palmeiras deve usar o Estadual para rodar o elenco e testar novas alternativas. A equipe começa a competição antes mesmo de terminar o calendário 2020, quando disputou todos os jogos possíveis. O elenco de Abel Ferreira vai finalizar a histórica temporada com 79 partidas disputadas.

Será a primeira vez do treinador português no Campeonato Paulista. Abel tornou-se um crítico do calendário e até sugeriu a diminuição do Estadual; agora, estreia sob a responsabilidade de defender o título e equilibrar a questão física palmeirense na virada da temporada.

O clube alviverde começa o Paulistão com o mesmo grupo de jogadores que ainda finaliza 2020. O Palmeiras só vai acelerar no mercado da bola depois das finais da Copa do Brasil. O último jogo contra o Grêmio está marcado para o dia 7 de março, quatro dias depois do primeiro Dérbi pelo estadual de 2021.

 

Palmeiras campeão da Libertadores — Foto: André Durão

  • Time-base: Weverton; Mayke, Luan, Gustavo Gómez e Matías Viña; Danilo e Gabriel Menino; Rony, Raphael Veiga e Willian; Luiz Adriano.
  • Estrela do time: Weverton. O goleiro se consolidou como o principal nome da posição no Brasil com uma temporada de 2020 impressionante, com papel decisivo nos títulos da Libertadores e do Paulistão. Aos 33 anos, o camisa 21 se encontra no auge da forma e cada vez mais se torna um nome incontestável na seleção brasileira de Tite.

 
 

Abel Ferreira e Weverton comemoram título do Palmeiras na Libertadores — Foto: Reuters

  • Ponto forte: a base campeã da América chega para o Paulistão com a casca de um time campeão e acostumado a decisões. O sistema defensivo extremamente seguro e organizado também se destaca na equipe comandada por Abel Ferreira.
  • Ponto fraco: a questão física pela temporada desgastante é um fator preocupante para o Palmeiras no Paulistão. Outro ponto a se observar é a irregularidade da equipe, que, também sob o comando de Abel Ferreira, fez partidas ruins, com pouca intensidade e criatividade. A lição do desempenho ruim no Mundial de Clubes é uma cicatriz dolorida e recente.

Bragantino

O Bragantino chega ao estadual deste ano com a mesma base de 2020. A principal mudança de um estadual para outro é o técnico Maurício Barbieri, que assumiu o time durante o Brasileirão e comandou a reação no nacional. O time chega embalado pela boa campanha no segundo turno do Brasileirão, que rendeu a classificação à Sul-Americana.

 

Bragantino chega ao Paulistão animado após bom segundo turno no Brasileirão — Foto: Ari Ferreira/Red Bull Bragantino

 

Para a temporada 2021, o Massa Bruta anunciou duas contratações até o momento: o goleiro Maycon Cleiton, ex-Santa Cruz, e o volante Jadsom Silva, ex-Cruzeiro. Deixaram o clube o volante Matheus Jesus, que estava emprestado pelo Corinthians. O Bragantino chega ao Paulistão com o intuito de disputar o título.

  • Time-base: Cleiton; Aderlan, Léo Ortiz, Fabrício Bruno e Edimar; Raul, Lucas Evangelista e Claudinho; Artur, Helinho e Ytalo.

Ituano

Vindo de eliminação no quadrangular final da Série C do Campeonato Brasileiro, o Ituano passou por uma grande reformulação no elenco. Foram 12 reforços contratados e um investimento pensando na briga pelo acesso à Série B nacional na sequência da temporada.

 

Vinicius Bergantin recentemente recebeu placa pelos 100 jogos no comando do Ituano — Foto: Daniel Vorley

Desde junho de 2017 no comando do Ituano, Vinicius Bergantin é o treinador há mais tempo no cargo entre os 16 clubes participantes do Paulistão, ficando atrás apenas de Renato Gaúcho, do Grêmio, no futebol nacional.

  • Time-base: Pegorari; Pacheco, Sueliton, Léo Santos e Breno Lopes; Tarik, Fillipe Soutto e Fernando Medeiros; Branquinho, Gabriel Taliari e Victor Rangel.

Novorizontino

O Novorizontino chega para o Paulistão embalado pelo acesso à Série C do Campeonato Brasileiro. Apesar de conquistar o grande objetivo na temporada passada, o clube optou pela troca no comando técnico: Roberto Fonseca deu lugar a Léo Condé, sexto colocado com o Sampaio Corrêa na Série B do Brasileiro.

 
 

Pereira e Guilherme Queiroz, que foram fundamentais no acesso à Série C, seguem no Novorizontino para o Paulistão — Foto: Lucas Valéo/Novorizontino

Apostando em uma filosofia de jogo mais agressiva, a meta é avançar às quartas de final após ficar fora no último ano. Pelo sexto ano consecutivo, o Tigre está no grupo do Palmeiras no estadual, podendo enfrentar o rival pela quarta vez em busca da vaga na semifinal.

  • Time base: Giovanni; Felipe Rodrigues, Edson Silva, Bruno Aguiar e Paulinho; João Pedro, Léo Baiano e Murilo Rangel; Roney, Guilherme Queiroz e Jenison.

 

— Foto: ge

Santos

Campeão paulista pela última vez em 2016, o Santos inicia a temporada exatamente como começou 2020: com novo técnico. Desta vez, o argentino Ariel Holan substituirá Cuca, que ajudou o Peixe a chegar à final da última Libertadores – no ano passado, foi Jesualdo Ferreira quem iniciou o Paulistão.

 

Ainda sem poder contratar por causa de punições da Fifa, o Santos entregará a Ariel Holan um elenco com alguns problemas – Lucas Veríssimo e Diego Pituca, por exemplo, foram vendidos e não foram substituídos. Mesmo assim, a expectativa pelo trabalho do treinador argentino é alta.

 

Ariel Holan, novo técnico do Santos — Foto: Alexandre Schneider/Getty Images

  • Time-base: João Paulo, Pará, Laércio, Luan Peres e Felipe Jonatan; Alison, Sandry e Soteldo; Marinho, Kaio Jorge e Lucas Braga.
  • Estrela do time: Marinho. O atacante foi o principal jogador do Santos na temporada passada, eleito craque da Libertadores. Foi decisivo na campanha finalista, com quatro gols em 10 jogos.

 

Marinho comemora seu gol contra o Boca Juniors — Foto: Santos FC / divulgação

  • Ponto forte: o setor ofensivo. O ataque do Santos, formado por Soteldo, Marinho, Kaio Jorge e Lucas Braga, é a principal arma da equipe agora comandada pelo técnico Ariel Holan. Quando um dos jogadores sai, o time sente problemas para criar jogadas.
  • Ponto fraco: meio de campo. A saída de Diego Pituca foi muito sentida pelo Santos. O volante, que atuava também como armador, foi vendido ao Kashima Antlers, do Japão, e não foi substituído à altura por nenhuma opção.

 

Guarani

O Guarani inicia o Paulistão 2021 com o objetivo de chegar às quartas de final depois da campanha frustrada em 2020, quando esteve muito próximo da classificação, mas tropeçou nas rodadas finais. Para isso, o clube investiu até o momento em nove contratações, com as quais reforçou todos os setores do time.

A principal delas é Andrigo, meia de 26 anos revelado pelo Internacional e que estava no CSA. O Bugre também terá novidade no banco. Depois de comandar o Cuiabá na conquista do acesso à Série A, o técnico Allan Aal chega ao Brinco de Ouro para disputar o Paulistão pela primeira vez.

 

Allan Aal, técnico do Guarani, vai disputar o Paulistão pela primeira vez — Foto: Thomaz Marostegan/Guarani FC

Quinze jogadores deixaram o clube. As principais baixas foram Júnior Todinho e Lucas Crispim, contratados por times que vão disputar o Brasileirão em 2021. O atacante assinou com o Juventude e o meia é agora jogador do Fortaleza. Todinho foi o principal artilheiro do Bugre no ano passado, com 11 gols, seis deles anotados no Paulistão.

  • Time-base: Gabriel Mesquita; Mateus Ludke (Éder Sciola), Thales (Romércio), Bruno Silva e Bidu; Marcelo, Índio, Tony e Andrigo; Pablo e Rafael Costa.

Mirassol

Embalado pela melhor temporada em seus 95 anos de história, o Mirassol busca novamente ser a grande surpresa do Paulista. Terceiro colocado na temporada passada, o Leão tem no banco de reservas o técnico Eduardo Baptista, que comandou o time na conquista do título da Série D do Brasileiro. Com o projeto de conseguir o acesso à Série B nacional neste ano, o Paulistão será uma forma de o treinador montar o time para o grande objetivo da temporada.

 
 

Eduardo Baptista é o técnico do Mirassol — Foto: Divulgação/Mirassol FC

Sem grande nomes, o Mirassol aposta na promoção de jovens das categorias de base com uma mescla de jogadores que se destacaram na Série B do Brasileiro, casos do atacante Rafael Silva e do zagueiro Wellington, ex-Juventude, e do lateral Daniel Borges, ex-América-MG.

Os três fizeram parte dos times que subiram para a Série A e retornam ao Leão, onde disputaram o Paulistão na temporada passada.

  • Time-base: Alex Muralha; Daniel Borges, Reniê, Carlão e Ernandes; Luis Oyama; Neto Moura e Cássio Gabriel; Rafael Silva, Netto e Fabrício Daniel.

São Caetano

Vivendo uma crise interna e com inúmeros problemas financeiros, o São Caetano busca apagar a imagem negativa da disputa da Série D do Brasileiro no segundo semestre de 2020. Após ser campeão da Série A2 do Paulista e retornar à elite após um ano, o Azulão sofreu com goleadas e até um W.O. na quarta divisão nacional.

Técnico Wilson Júnior e Fabinho, coordenador de futebol do São Caetano — Foto: Fabio Giannelli/Soccer Digital

Técnico Wilson Júnior e Fabinho, coordenador de futebol do São Caetano — Foto: Fabio Giannelli/Soccer Digital

 

saída do mecenas e bilionário Saul Klein escancarou os problemas financeiros do time, que busca montar uma equipe competitiva para se manter na primeira divisão. O técnico será Wilson Jr., de apenas 44 anos e com experiências como treinador apenas no futebol paulista. Até o momento, somente 15 jogadores foram confirmados pelo Azulão.

  • Time-base: Luiz; Tony, Carlos Alexandre, Daciel e Caetano; Anderson Braz, Charles, Guilherme e Perozo; William Amorim e Filipe Carvalho.

Comentários

Últimas notícias

Página 1 de 192