BOMBA!!! EXCLUSIVO: Rippa dorme no ponto e perde polo da UNIVESP, que Renata Braga havia pedido a Marcio França

Prefeito RR cochilou e ficou sem a unidade da universidade virtual paulista que agora tem núcleos em toda a região

Publicado em 13/01/2018 13:02:54

BOMBA!!! EXCLUSIVO: Rippa dorme no ponto e perde polo da UNIVESP, que Renata Braga havia pedido a Marcio França
A matéria do Fala Porto de 29 de agosto, que revela que a ex-prefeita Renata Braba recebeu o vice-governador Marcio França em São Carlos e fez o pedido - DIVULGAÇÃO

Cochilou, cochilou, o cachimbo caiu! Esta frase era do locutor esportivo Osmar Santos e ficou famosa nos anos 1980. Ela se aplica ao atual momento da política ferreirense. O prefeito Rômulo Rippa (PSD), que ficou famoso por fechar unidades de saúde e até escola, agora conseguiu a "proeza" de perder a primeira universidade pública da história de Porto Ferreira. Ele se atrasou e foi enviar, somente no dia 13 de outubro (foto abaixo) o ofício reivindicando a implantação da Universidade Virtual do Estado de São Paulo, a UNIVESP, que está abrindo polos em toda a região. As inscrições para os vestibulares já estão abertas em São Carlos, Santa Cruz das Palmeiras, Pirassununga, Tambaú, São Simão e etc. 

O curioso da história é que o polo da UNIVESP foi reivindicado pela ex-prefeita Renata Braga (PSDB) antecessora de Rippa na Prefeitura. Ela pediu e teve o aval do vice-governador Márcio França, no dia 18 de agosto, quando recebeu o líder político em São Carlols. Aliás, tem sido notória a ausência do prefeito Rômulo Rippa nas solenidades que principalmente o governador Geraldo Alckmin tem realizado na região.

LEIA ABAIXO A MATÉRIA DE 29 DE AGOSTO QUE FALA DO TEMA

Renata Braga reivindica a Márcio França polo da UNIVESP para Porto Ferreira

Universidade Virtual Paulista vai atender mais de 16 mil alunos em 63 cidades

A presidente do PSDB de Porto Ferreira, a ex-prefeita Renata  Braga continua bastante atuante na política estadual. Ela entregou, em São Carlos, no dia17 de agosto, ao vice-governador e secretário estadual de Ciência & Tecnologia, um ofício reivindicando a implantação de um polo da Universidade Virtual do Estado de São Paulo (UNIVESP)  em Porto Ferreira. Caso Renata seja atendida, Porto Ferreira fará história, com a criação da primeira unidade de uma instituição pública de ensino superior no município.

“Estamos lutando juntamente com nossos deputados e demais lideranças para buscarmos mais esta conquista. Foi meu pai, Dorival, que implantou e valorizou a Escola Mário Borelli Thomas, a nossa querida Escola de Comércio, que tantos talentos formou com os cursos técnicos. Depois, anos mais tarde, meu irmão, André, como prefito, conquistou a unidade da ASSER com os primeiros cursos superiores de Porto e agora tenho a felicidade de, mesmo fora do poder, lutar para a conquista de nossa universidade virtual, que é a universidade do futuro”, ressaltou Renata.

No início do mês, o governador Geraldo Alckmin assinou convênios entre a Universidade Virtual do Estado de São Paulo (Univesp) e 38 prefeituras paulistas para a instalação de polos da instituição. Com os novos convênios, a Univesp totalizará 100 pontos com presença em 63 cidades. Também participaram da cerimônia o vice-governador e secretário de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação, Márcio França e a presidente da Univesp, Maria Alice Carraturi.

“Oitenta e cinco por cento dos alunos da Univesp vêm de escolas públicas. Levando ensino superior gratuito e de qualidade para várias cidades, São Paulo não deixa ninguém pra trás”, disse o governador Geraldo Alckmin, ressaltando a versatilidade do ensino a distância. “O aluno faz o seu horário, estuda pela internet e participa de aulas presenciais a cada duas semanas”, completou.

Para Márcio França, a ampliação das vagas da Univesp representa a oportunidade para os jovens de todo o Estado de São Paulo cursarem graduação gratuitamente, no padrão das melhores universidades do país. “Não importa se moram longe ou próximo aos grandes centros ou regiões metropolitanas, os polos garantirão educação a distância a mais de 16 mil estudantes. A expansão é um passo para a universalização do ensino superior”, ressalta o vice-governador.

A universidade, única 100% a distância do Brasil, acaba de realizar vestibular com cerca de 80 mil inscritos que disputaram vagas para Engenharia da Computação, Engenharia de Produção, Licenciatura em Matemática e o novo curso de Pedagogia.  Segundo Maria Alice, a divulgação da primeira chamada dos aprovados será no dia 8 de agosto, e as matrículas deverão ser realizadas entre 9 e 11 do mesmo mês, nos próprios polos escolhidos pelos estudantes. O início das aulas deverá ocorrer em 21/08.

Na Univesp, o aluno aprende de forma ativa. E isso acontece tanto em momentos on-line como em encontros presenciais, nos chamados polos. Grande parte do curso é realizada em Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA). Trata-se de uma plataforma on-line na qual os estudantes desenvolvem atividades acadêmicas que incluem assistir a videoaulas, acessar material didático e bibliografia das disciplinas e tirar dúvidas do conteúdo com tutores. Já os polos são espaços físicos onde os alunos contam com infraestrutura (computadores, impressoras e acesso à internet) e realizam atividades como provas, discussões em grupo, trabalhos orientados por tutores. Ali, também podem solicitar serviços de secretaria acadêmica, assim como tirar suas dúvidas sobre o AVA.

Criada em 2012 como a quarta universidade estadual paulista, a Univesp mantém parcerias com USP, Unesp, Unicamp e Centro Paula Souza para desenvolvimento do conteúdo e coordenação de seus cursos. Trata-se de uma Fundação mantida pelo Governo do Estado de São Paulo, vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação, com credenciamento como universidade pelo Conselho Estadual de Educação e pelo MEC para o oferecimento de cursos a distância.

O primeiro vestibular da universidade aconteceu em 2014 com oferta de 3.330 vagas para graduação em Engenharia de Computação e Engenharia de Produção, assim como licenciaturas em Matemática, Física, Química e Biologia. No ano de 2016, foi realizado um novo processo seletivo com disponibilidade de 918 vagas para uma segunda turma de Engenharia de Computação e Engenharia de Produção. Hoje, com 2,5 mil alunos, além desses seis cursos de graduação, também oferece opções de especialização para a formação docente no ensino mediado pelas tecnologias.

Fotos

Comentários

Últimas notícias

Página 1 de 160