Tributo a Jair Rodrigues: homenagem ao cantor será realizada por artistas locais

Os cantores André de Souza, Maria Butcher, Regina Dias, Rodrigo Zanc, Leme (Leme e Samba da Antiga), a dupla sertaneja João Carlos e Bruno e Duo Us Dias, irão interpretar canções consagradas na voz de Jair Rodrigues.

Publicado em 31/10/2019 22:44:49

Tributo a Jair Rodrigues: homenagem ao cantor será realizada por artistas locais
O timaço de artistas que vai comandar o tributo a Jair - DIVULGAÇÃO

 

O prefeito Airton Garcia e o secretário de Esportes e Cultura, Edson Ferraz, receberam na última terça-feira (29/10), no Paço Municipal, vários artistas de São Carlos que vão se apresentar no Tributo a Jair Rodrigues, homenagem ao cantor que iniciou a carreira na cidade e que esse ano completaria 80 anos.

O Tributo a Jair Rodrigues faz parte das comemorações dos 162 anos de São Carlos e será realizado no dia 17 de novembro, a partir das 19h, no Teatro de Arena “José Saffioti Filho”, anexo ao Teatro Municipal Drº Alderico Vieira Perdigão. A homenagem está sendo organizada pela Secretaria de Esportes e Cultura, por meio do Centro Municipal de Artes e Cultura (CEMAC).

Os cantores André de Souza, Maria Butcher, Regina Dias, Rodrigo Zanc, Leme (Leme e Samba da Antiga), a dupla sertaneja João Carlos e Bruno e Duo Us Dias, irão interpretar canções consagradas na voz de Jair Rodrigues.

Para o cantor André de Souza iniciativas como essa são muito importantes para os artistas locais. “Essa retomada da cultura em São Carlos tem uma super importância para nós artistas locais que não temos muitos espaços para trabalhar. A abertura dos espaços públicos com a realização de programas culturais permanentes é essencial para o nosso trabalho e para a população”, observa o cantor que já participou do Circuito Arena e vai se apresentar no Tributo a Jair Rodrigues.

O prefeito Airton Garcia agradeceu a todos os artistas de São Carlos e disse que a Prefeitura vai sempre prestigiar os talentos da terra. “Já pedi ao Edson Ferraz que mesmo quando vier gente de fora, de projeção nacional ou internacional, a abertura deve ser feita por pessoas aqui de São Carlos”, ressaltou Airton Garcia.

 “A nossa intenção sempre foi oferecer uma boa atividade cultural, gratuita as famílias e com artistas da terra. Hoje quando vamos às apresentações e percebemos a grande participação popular nos eventos, temos a certeza que estamos no caminho certo. Já conseguimos incluir a cultura na rotina de lazer das pessoas de São Carlos”, avaliou Edson Ferraz, secretário de Esportes e Cultura.

O diretor de Cultura, Carlos Alberto Caromano, lembrou que a Prefeitura vai realizar nos dias 8, 9 e 10 de novembro a primeira edição da Maratona Cultural. “Vamos reunir mais de 40 atrações gratuitas, com a participação de 200 artistas locais, levando intervenções culturais para oito diferentes regiões da cidade”.

Duo Us Dias, dupla formada por mãe e filho, também elogiou a política cultural da Prefeitura. “É maravilhoso sentir toda essa energia da cidade novamente viva, com vários eventos de qualidade, resgatando todos os artistas da cidade”, avalia Meire. “Quando fomos convidados para o Tributo a Jair Rodrigues nos sentimos honrados em fazer parte da homenagem a esse artista que deixou um legado musical imenso, além de dividir o palco com artistas locais que também são incríveis”, conta Biel.

 

JAIR RODRIGUES - A carreira musical de Jair Rodrigues começou quando ele se tornou crooner no meio da década de 1950 em São Carlos/SP lá chegando, em 1954, e participando da noite são-carlense, que era intensa na época, também com participações na Rádio São Carlos como calouro e com apresentações, vivendo intensamente nessa cidade até o fim da década. Em 1958 Jair Rodrigues prestou o serviço militar no Tiro de Guerra de São Carlos, como Soldado Atirador nº 134, que na época era denominado TG 02-043.

No início da década de 60, ele foi tentar o sucesso na capital do estado e acabou por participar de programas de calouros na televisão. Com o lançamento do primeiro LP, O Samba como ele é, em 1964, fez algum sucesso com o samba  “O morro não tem vez”, de Tom Jobim e Vinicius de Moraes. Porém, foi cantando em boates o samba “Deixa isso pra lá”, de Alberto Paz e Edson Menezes, que ele conseguiu um grande sucesso e gravou o seu segundo LP, Vou de Samba com Você, ainda em 1964. Em 1965, Elis Regina e Jair Rodrigues fizeram muito sucesso com sua parceria em O Fino da Bossa, programa da TV Record.

Em 1966, o cantor participou e venceu o II Festival da Música Popular Brasileira com a canção “Disparada”, de  Geraldo Vandré e  Théo de Barros, empatando com a música  “A Banda”, de Chico Buarque. Conhecido por cantar sambas, Jair surpreendeu o público com uma linda interpretação da canção Disparada. A partir daquele momento, sua carreira decolou e seu talento assegurou décadas de sucesso ao cantor. Nesse período, o artista realizou turnês pela Europa, Estados Unidos e Japão.

Em 1971, gravou o samba-enredo Festa para um Rei Negro, da Acadêmicos do Salgueiro, do Rio de Janeiro. Jair interpretou ainda sucessos sertanejos como “O Menino da Porteira”, “Boi da Cara Preta” e “Majestade o Sabiá”. Nas décadas seguintes, sua produção diminuiu de volume. Entretanto, Jair Rodrigues continuaria conhecido por sua grande energia e sua alegria contagiante.

Jair Rodrigues morreu repentinamente no dia 8 de maio de 2014 na sauna de sua casa, em Cotia, na grande SP, em decorrência de um infarto agudo do miocárdio.

Comentários

Últimas notícias

Página 1 de 171